top of page
Barletta

Doenças infecciosas e Saúde Natural.

Conheça o resultado das pesquisas científicas criteriosamente desenvolvidas para combater de forma natural e preventiva diversas infecções causadas por vírus, bactérias e micróbios.

Doenças infecciosas e Saúde Natural.
Saiba mais sobre o vírus da gripe, infecções e tratamentos naturais eficazes.

O Instituto de Pesquisa Dr. Rath, com sede na Califórnia, EUA, tem um grupo de cientistas dedicados ao estudo e desenvolvimento de abordagens naturais eficazes para controlar infecções virais e bacterianas. Eles enfatizam a importância da estabilidade e integridade do tecido conjuntivo e do sistema imunológico em nossa compreensão de como as doenças infecciosas se espalham pelo corpo e de como os micronutrientes podem proteger e estabilizar nossas barreiras biológicas para impedir e tratar diversas infecções.


Nesse artigo apresentamos uma introdução simplificada sobre o vírus da gripe. Ao final você encontrará links para dezenas de artigos mais específicos sobre diversos tipos de infecções. Muitos artigos ainda estão em inglês, mas você pode utilizar o tradutor automático do seu navegador para a versão em português. Qualquer dúvida, por favor entre em contato com nossa equipe no Brasil. Teremos prazer em ajudar a esclarecer suas dúvidas.


Atenciosamente,

Equipe Saúde para Todos Brasil

 


O vírus da Gripe (influenza)

A temporada de influenza (gripe) no Brasil geralmente começa no outono e atinge o pico no inverno, principalmente nas regiões de clima bem definidos. A gripe é uma doença viral comum e afeta cerca de 20% da população mundial todo ano. Na maioria dos casos, a gripe é benigna, mas também pode ter consequências graves, especialmente em pessoas com sistema imunológico comprometido, idosos e crianças. Em todo o mundo, estima-se que a gripe em estágios crônicos cause cerca de 350.000 mortes a cada ano.


O vírus da gripe espalha-se facilmente pelo ar ou por contato direto. O vírus é imprevisível e estar bem informado é a melhor prevenção contra essa infecção. Na maioria dos casos, medidas simples como lavar as mãos com frequência e ter uma boa alimentação, rica em micronutrientes, são eficazes na prevenção da gripe. No entanto, todos os anos, campanhas veiculadas pela mídia promovem a vacinação como a única e melhor proteção contra a gripe.


De acordo com um relatório da Organização Mundial da Saúde (OMS), estima-se que o mercado de vacinas contra a gripe atingiu a casa dos US$ 3,8 bilhões em 2018. Somente nos EUA, o mercado estimado para a vacina contra a gripe é de US$ 2,2 bilhões. Apesar do marketing agressivo, tem sido difícil comprovar a eficácia da vacina contra a gripe, uma vez que o vírus da gripe sofre mutações frequentes e a resistência às vacinas é muito comum.


Embora os dados de eficácia da vacina contra os vírus da gripe circulantes nos EUA sejam publicados posteriormente, com base em anos anteriores, normalmente a eficiência da vacina nos EUA chega, no máximo, à 35%. Atualmente, não há medicamentos de venda livre disponíveis que ofereçam uma cura satisfatória para a gripe.


Alguns medicamentos farmacêuticos antivirais podem reduzir os sintomas semelhantes aos da gripe em um ou dois dias, quando tomados nas primeiras 48 horas após o aparecimento dos sintomas. No entanto, alguns deles carregam riscos de efeitos colaterais, incluindo alterações de humor e comportamentais, alucinações e até convulsões.

Com relação às medidas preventivas, tomar vitamina C tem sido um remédio popular contra a gripe em muitos países do mundo. Nutrientes individuais como vitamina C, chá verde, N-acetilcisteína e selênio são conhecidos por terem propriedades antivirais. No Instituto de Pesquisa Dr. Rath investigamos esses nutrientes em combinação com os aminoácidos lisina, prolina e arginina, entre outros, para avaliar sua eficácia contra o vírus da gripe humana(*1). Os resultados mostraram que a mistura de nutrientes foi eficaz contra os principais mecanismos de infecção viral. A mistura de nutrientes:

  • Reduziu a multiplicação de vírus nas células em 82%;

  • Reduziu a capacidade do vírus de infectar outras células em 70%, inibindo o mesmo mecanismo que é alvo dos medicamentos antivirais;

  • Estabilizou e reforçou a barreira do tecido conjuntivo para reduzir a propagação de vírus através dos tecidos.

Além disso, comparamos a eficácia dessa combinação de nutrientes com seu único componente, vitamina C. A mistura de nutrientes foi mais eficaz do que a vitamina C usada sozinha na redução da atividade viral, diminuindo-a em até 87%, em comparação com 20% alcançados com o uso isolado da vitamina C.


Para saber mais sobre tratamentos naturais e preventivos contra infecções causadas por bactérias, micróbios e vírus leia os artigos abaixo.

 
 

Referências:

(*1) Jariwalla RJ, et al., Biofactors, 31(1), (2007) 1-15


 

コメント


コメント機能がオフになっています。
bottom of page